Cinco maneiras simples de ser um melhor profissional Web

0

Com a competitividade do mercado, qualquer detalhe, qualquer ponto positivo que você possua tanto profissionalmente quanto pessoalmente pode lhe render mais sucesso em sua vida. Um site criou uma lista sobre como ser um melhor profissional web e eu realizei a tradução, a resumi , e fiz adaptações, para que você possa também refletir sobre isto.

1. Conheça sua história

Se você é um profissional Web, o mínimo que você pode saber é a história do seu próprio “contexto” profissional. Saiba sobre o passado da internet, de como ela foi criada além de toda sua evolução. E mais, não se limite apenas à assuntos da internet, saiba sobre a computação, linguagens de programação, empresas pioneiras.

2. Apaixone-se por aprender

Cada especialidade dentro do vasto guarda-chuva da “Web” traz consigo uma longa lista de conhecimento crítico. Por exemplo, designers visuais possuem um entendimento de tipografia e um domínio de ferramentas de design que eu nunca iria entender algo nem perto disto. Porém eu sei que saber o básico permite mover graciosamente entre os assuntos além de gerar melhor entendimento.
No lado técnico, a falta de familiaridade com as tecnologias da Web subjacentes muitas vezes leva a indevida agravamento e mal-entendidos entre os membros da equipe. É a minha opinião de que todos os que trabalham na Web seria melhor com uma compreensão de nível básico de:

  •  Blocos de construção em HTML da web, CSS e JavaScript e o papel que cada um desempenha.
  •  Como um navegador da Web solicita recursos e interpreta cada para a apresentação ao usuário.
  •  Como servidores de web, banco de dados, etc., trabalham juntos e responder às solicitações.
  •  Como particularmente redes celulares baseados em redes móveis se comportam e como seus usuários comportamento impacta.

Para reiterar: eu não espero que todos possam dominar estes temas. Porém reafirmo, saber o básico de cada assunto é fundamental para existir melhor coesão entre equipes.

3. Respeite quem veio antes de você

A Web de final dos anos 90 foi um pesadelo de marcação e de código fechado implementações proprietárias; um mundo desprovido de padrões (como os conhecemos hoje). Eu fico infeliz só de pensar em quando havia dois DOM completamente diferentes e incompatíveis: Netscape e do Internet Explorer. Isto era completamente maluco!

Trabalhando na Web durante o Navegador Wars foi difícil. A Web foi repleta de bandeiras e emblemas proclamação qual dos dois principais navegadores um site suportado. Eu sou absolutamente culpado disso: Netscape foi o meu navegador de escolha. O Web comercializado estava falhando o desejo do seu criador para universalidade e acessibilidade.

Muita gente lutou pelos padrões, por tudo que temos hoje. É graças a seus esforços através de organizações como a Web Standards que hoje trabalham arduamente afim de fiscalizar a criação destes padrões em toda web.

Aproveite o tempo para se familiarizar com o trabalho da geração anterior de web designers e desenvolvedores. Temos a sorte em nossa indústria que a maior parte desta geração anterior ainda estão ativos no campo e estão felizes em compartilhar o que sabem. Aprenda com seus sucessos e fracassos.

4. Respeite seu público

Hoje vejo uma deficiência muito grande neste assunto. A grande maioria dos desenvolvedores e dos designers não avaliam qual será o público alvo de web site de maneira sucinta antes de elaborá-lo. Apenas aplicam seus gostos e fazem de uma maneira padronizada, sempre. É claro que você tem que tem que tender à suas expertises para tornar o produto de qualidade. Mas veja por este lado. Um site comercial que vende sapatos para os ocidentais ricos claramente tem um público diferente do que uma organização sem fins lucrativos de proporcionar aos cidadãos o acesso à informação crítica de saúde. Por isto o tipo de usuário que irá acessar são completamente diferentes, pense nisso!

Lembre-se: Os sites que construímos são em última análise, para as pessoas, não browsers e dispositivos. Respeite as capacidades de seu público, seu tempo, sua atenção, seu conhecimento e principalmente e sua largura de banda.

5. Se envolva com o mundo

  Há um monte de maneiras de envolver ativamente em relação ao mundo. Algumas idéias:

  • Participar de um evento relacionado ao seu campo de interesse. Há outros como você e eles gostam de falar sobre o que fazem.
  • Não há eventos em sua área que despertam o seu interesse? Comece o seu próprio! Há boas chances de existir outras pessoas que compartilham da sua paixão.
  • Converse com os alunos na sua escola ou universidade local. Receba as crianças interessadas em tecnologia.
  • Contribuir para projetos de código aberto. Há muitas maneiras de se envolver em projetos de código aberto que não envolvem código.

Enfim, é isto!

Claro que existem muitas outras coisas que você pode fazer para ser um melhor profissional, que tal colocar nos comentários o que você tem feito para isto?

Um grande abraço! 🙂

 

Compartilhe.